Treinando os Três Tambores

Construindo cavalos poderosos – treinando os três tambores

 

O que é necessário para um cavalo de tambor?

1 – Equilíbrio e fluidez em círculos

2 – Sair da pressão da sua perna

3 – Reduzir sob o seu assento

4 – Reunir e fazer força com os posteriores

5 – Sair dos giros alinhado e com força

6 – Saber agir corretamente em cada ponto do percurso

7 – Ter capacidade corporal para alongar seus galões e correr mais

 

1 – Equilíbrio e fluidez em círculos

 

Primeiro é preciso entender o que é a flexão.

Flexão não é dobrar o pescoço ou amolecer a boca do cavalo. Flexão é alongamento. Quando flexionamos um cavalo, exercitamos a musculatura do lado que se contrai e alongamos a musculatura do lado de fora.

Exatamente igual ao alongamento humano.

Por isso, não é algo que se deva fazer de uma só vez; é um trabalho do dia a dia. Experimente ficar em pé, pernas retas e baixar seu tronco para colocar a palma das suas mãos no chão. Quando faz isso, você contrai o lado de dentro (abdômen) e estica a musculatura das costas.

Forçar pode lesionar e, certamente, deixará seu corpo dolorido. E você não conseguirá fazer isso no primeiro dia!

 

Sobre flexão e círculos

 

  • Um atleta com capacidade de alongamento e força muscular sempre terá mais mobilidade e agilidade.
  • Trabalhar em círculos facilita a flexão e traz equilíbrio e apoio correto do cavalo para executar os giros.
  • Mesmo quando seu cavalo chegar ao ponto de ter ótima flexão e posicionamento nos círculos, você estará executando menos exercícios nesse sentido, mas precisará fazer a manutenção e checar sempre se tudo continua bem.
  • A flexão e o equilíbrio em círculos se conquista passo a passo. Forçar demais de uma só vez só causará dor muscular e seu cavalo renderá muito menos nos treinos.
  • A sua posição na sela influencia o posicionamento do seu cavalo, porque o seu peso modifica o equilíbrio dele. Então, posicione-se corretamente na sela sempre para não atrapalhar o desempenho dele.

 

Posição correta do cavalo e do cavaleiro

treinando-tres-tambores

foto: Heather Smith

 

Como colocar flexão?

 

  1. Comece sempre do menor grau e conforme seu cavalo for evoluindo, passe para o grau seguinte.
  2. Coloque seu cavalo em um círculo de 4m de diâmetro a passo, apenas a ponta do focinho para dentro. Encoste a sua perna fazendo uma pressão. Ele deve andar ao redor da sua perna, não para cima dela.
  3. Sentiu que ele cedeu um pouco e começou a flexionar? Continue assim dando algumas voltas, cerca de 5 minutos.
  4. Ele não cedeu nem um pouquinho? Coloque um pouco mais de pressão na perna, pode dar batidinhas com a perna na lateral dele logo atrás da barrigueira. Cedeu? Pare reduza a pressão.
  5. Trabalhe o outro lado.
  6. Seu cavalo faz a passo corretamente e com muita facilidade? Então é hora de fazer um círculo menor com cerca de 2m de diâmetro da mesma forma que fez o círculo maior.

Quando seu cavalo estiver fazendo o círculo pequeno a passo flexionado e praticamente sozinho, passe para o grau seguinte e faça o círculo de 4m a trote.

Faz corretamente, flexionado e se movendo de forma fluída? Reduza para 2m a trote.

Trabalhe os dois lados.

Somente quando estiver bem a trote, faça o mesmo procedimento a galope.

Aproveite o tempo a passo e a trote para perceber a movimentação e posicionamento dele. Ele deve se mover facilmente, sem escapar a garupa (sinal de baixa flexão e desequilíbrio) e sem cair para dentro do círculo. Seus posteriores devem trabalhar embaixo do corpo dele.

 

2 – Sair da pressão da sua perna

 

Use mais as pernas e menos as suas rédeas.

Se o seu cavalo cai para dentro do círculo ou sai fora dele, use a perna encostando na lateral do seu cavalo para trazê-lo de volta ao círculo.

A rédea deve ser o último recurso no seu treinamento para que seja realmente eficiente quando você precisar usá-la.

Acostume-se a olhar para onde quer ir e não para o pescoço ou cabeça do seu cavalo. Os cavalos seguem para onde olhamos, porque instintivamente usamos nosso corpo para indicar a direção. Exatamente como acontece quando estamos dirigindo um carro. Quando olhamos para o lado, automaticamente levamos o carro para essa direção.

 

3 – Reduzir sob o seu assento

 

Quando estiver correndo uma prova, com velocidade, seu cavalo deverá reduzir a velocidade quando você se sentar firme e fundo na sela antes dos giros. Ensine isso a ele.

Sempre que você quiser parar seu cavalo, não comece puxando as rédeas. Fale ‘wow’ ao mesmo tempo em que colocar seu peso sobre a parte de trás do seu assento. Sente fundo, wow e se ele não reduzir você aciona as rédeas sem trancos. Inicialmente ele irá começar a reduzir para depois parar. Não queira que ele pare de uma vez assim que você se sentar fundo.

Coloque seu cavalo em uma reta a trote e faça parar. Com a repetição ele acabará entendendo o que você quer. Essa é a diferença entre um cavalo que reage (porque você coloca uma forte pressão) e um cavalo que age porque aprendeu.

Nos treinos no percurso, faça exatamente isso nas entradas dos giros. Ensinar dessa forma evita que seu cavalo acabe aprendendo a antecipar o giro.

 

4 – Reunir e fazer força com os posteriores

 

Um pouco de biomecânica

Para executar giros com força e rapidez seu cavalo precisa deslocar o peso do corpo para os posteriores, pois a galope o peso estará nas mãos dele.

Durante um giro os cavalos precisam manter seu centro de gravidade (núcleo) e não serem derrotados pela força centrípeta. Então, eles giram inclinando a paleta para dentro para adiantar a mão de dentro (que será a guia do movimento) e empurram o corpo com os posteriores, sendo que o de fora faz uma força de fora para dentro (note como esse pé fica mais para fora na foto abaixo).

 

Posição do cavalo durante um giro em velocidade

treinando-os-tres-tambores

 

  • Para reunir e transferir o peso do corpo para os posteriores, os cavalos precisam fazer força em um grupo de músculos, os músculos do Engajamento, que estão na parte de baixo do pescoço e do tórax.
  • Para fazer força com esses músculos o cavalo precisa baixar um pouco e esticar seu pescoço. Então, deixe de lado a regra antiga de que para engajar precisamos trazer a cabeça dos cavalos de encontro ao peito deles.
  • Alguns cavalos chegam com tanta força na entrada do giro que precisam baixar mais o pescoço para contrair os músculos do engajamento. Veja a foto a seguir.

 

treinando-os-tres-tambores

 

Poder

 

Cavalos que chegam ao tambor na força toda e reúnem com pouquíssima redução de velocidade, tem muito poder.

Porque sabem onde devem reunir e virar. Não esperam que puxem as rédeas (tem ação e não reação), não precisam matar absurdamente a velocidade e possuem muita força e equilíbrio para virar rápido, porém suave.

Somente cavalos seguros de si, sem medo da embocadura, capazes de correr com seriedade, sem medo da pista e que gostem do percurso são poderosos.

 

5 – Sair dos giros alinhado e com força

 

É essencial que o cavaleiro saiba exatamente sobre os pontos do percurso. Até onde deve ir com seu cavalo totalmente reto, onde deve começar o giro de cada tambor e onde deve terminar para sair alinhado direto para a entrada do próximo tambor.

Se o seu cavalo não terminar o giro, se você sair antes da hora, acabará puxando ele de volta ao traçado e ele não sairá na força toda.

Somente com uma base excelente de flexão, equilíbrio, engajamento é que seu cavalo conseguirá sair muito forte dos giros. Caso contrário, sairá lento, “pipocando”, puxando seu corpo com as mãos.

Puxar a cabeça do cavalo para dentro faz com que ele não consiga manter o peso nos posteriores e, portanto, não consiga fazer empurrar seu corpo com os mesmos. Por isso, ele acabará puxando o corpo com as mãos, pipocando e escapando lateralmente. A força centrípeta terá ganho…

 

6 – Saber agir corretamente em cada ponto do percurso

 

Qual a ação correta em cada ponto do percurso?

  1. A entrada do primeiro tambor – ela não muda, não importa de onde você tenha largado. Até lá seu cavalo deve correr reto. É nesse ponto que você senta fundo para reunir e virar.
  2. A saída do 1º. Tambor deve ser alinhada para a entrada do 2º. Errou o 1º.tambor, errará o 2º. e depois o 3º.tambor.
  3. Só libere seu cavalo no giro do 2º. Tambor quando a paleta dele tiver passado por ele, ou seja, quando a sua perna estiver ao lado do tambor. Até lá você deve empurrar seu cavalo reto.
  4. Atenção com a saída do 2º. Tambor. Termine o giro, caso contrário fará uma ‘barriga’ e entrará longe demais do 3º.
  5. Se entrar longe demais, seu cavalo galopará ao redor do tambor ou tentará se aproximar dele antes da hora.

 

7 – Ter capacidade corporal para alongar seus galões e correr mais

 

Cavalos correm por natureza? É em parte verdade e em parte não. Podem ter a característica de ser mais veloz, mas treinar correr, treinar velocidade é importante.

Atingir mais velocidade exige um conjunto de músculos diferentes do galope de trabalho. Se o seu cavalo raramente corre e dá tiros, esses músculos estarão pouco desenvolvidos.

Existe o fator “memória muscular” que se cria com treino e repetição. Como um atleta humano de velocidade, os cavalos precisam treinar correr. Caso contrário não haveria treinadores para os cavalos de corrida.

O problema é ter um local que não coloque seu cavalo em risco para que você possa dar tiros e treinar velocidade. Mas você pode fazer isso na diagonal da sua pista, reduzir (sentando) na curva da frente e do fundo dela e dar outro tiro na outra diagonal.

 

Velocidade é hábito

 

Se você não está habituado com a velocidade, não ficará tranquilo com ela. O mesmo para o seu cavalo.

Se você acelera o seu carro a 120km/h na terra e fica inseguro, não poderá correr o Rally dos Sertões!

Não é apenas a memória muscular e o uso do grupo de músculos; existe um cérebro para ser treinado.

Tanto você quanto o seu cavalo precisam estar familiarizados com a velocidade.

Assim como você pode estar lento para as entradas e saídas dos giros rápidos, seu cavalo também poderá estar.

Então, saiba que empistar é preciso. Correr provas para adquirir rapidez, agilidade e confiança são importantes para vocês dois.

 

Um exercício para alongar as passadas

 

  1. Coloque seu cavalo em um círculo com cerca de 3m de diâmetro, a trote alongado.
  2. Faça ele trotar solto, somente a ponta do focinho para dentro.
  3. Mantenha a sua mão de dentro para frente e na lateral do pescoço dele. A rédea de fora sem ação alguma.
  4. Empurre no trote para que ele se estique, baixe a frente e vá fechando o círculo de forma que ele jogue a mão de dentro lá na frente, esticado.
  5. Conseguiu que fizesse 4 voltas se alongando? Então sente na sela e ‘wow’, pare suavemente porque ele estará em uma posição ruim para efetuar paradas bruscas.
  6. Atenção! Não é para ele ladear! É para andar para frente dentro de um círculo bem reduzido (1,5m a 1m de diâmetro).
  7. Ele alçará a mão de dentro para frente e cruzará os pés por baixo do corpo.
  8. Caminhe 5 min a passo para descansar e relaxar a musculatura e depois faça para o outro lado.

 

Você pode saber mais e pode fazer mais. Clique neste link e saiba como!

No Comment

Leave a Reply