fbpx

O mito do engajamento – o que a maioria desconhece

Engajamento – como acontece?

 

Engajamento é um entre dezenas de mitos sobre cavalos.

Há 30 anos quando comecei a ver de perto os primeiros cavalos de tambor, era comum colocar muita flexão de nuca nos cavalos.

A biomecânica é algo relativamente novo lá fora e absolutamente desconhecido por aqui.

Enquanto as treinadores e competidoras de tambor americanos possuem muito embasamento sobre cavalos, desde a sua natureza até questões mais avançadas, por aqui estamos saindo dos anos 90.

Antes acreditava-se que ao flexionar a nuca o cavalo fizesse o mesmo movimento com a garupa.

Parecia algo obvio dar a nuca e automaticamente colocar a garupa.

Assim se conseguia um bom engajamento, como se a força viesse das costas do cavalo.

Mas não é nada disso…

Alguns treinadores vão mais longe (no passado) e querem que o cavalo engaje com a nuca colocada e a garupa para dentro.

Outros preferem usar um limitador como a gamarra para que o cavalo não levante a cabeça, mas o que acontece é que ele não estica o pescoço.

 

E o que esticar o pescoço tem a ver com apoiar a garupa?

 

Quer saber? TUDO! Tem tudo a ver.

Existe uma “engrenagem” no cavalo chamada músculos do engajamento.

Embora muitos acreditem que os cavalos façam força nas costas ou na garupa para engajar, estudos sobre a biomecânica equina já comprovaram que não é nada disso.

 

Os cavalos são como pontes; a energia e força correm por baixo.

 

Esse grupo de músculos responsável por engajar, apoiar os posteriores para somente então gerar tração traseira. E fica exatamente na parte inferior do pescoço e tórax.

É acionado quando o seu cavalo dá aquela esticadinha de pescoço para frente fazendo força com a parte de baixo de seu corpo. Então, a garupa se encaixa e os posteriores fazem força.

Na real é meio parecido com a gente.
Quando estamos correndo e precisamos frear, não são os músculos lombares que fazem isso, são os abdominais.

Eles são responsáveis por encaixar o quadril.

Quer que seu cavalo reúna antes dos giros?

Ensine onde ficam os pontos de entrada de cada um, precisamente.

E mostre que haverá uma redução lá.

Depois é só acreditar na natureza, porque ela programou o cavalo para buscar a estabilidade e usar esse conjunto muscular que muitos desconhecem a função.

Dê condições físicas e de mobilidade e o seu cavalo terá mais condição de executar uma manobra sozinho do que tendo a interferência equivocada humana.

Não dirija nem queira mudar o que é imutável. Apenas se coloque na posição de facilitador e leve o seu parceiro para os pontos certos de ação.

Você pode começar a acionar o melhor do seu cavalo agora.

Clique AQUI para conhecer o meu Treino Personalizado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

× Como posso te ajudar?