Você até pode encontrar respostas a respeito do que fazer no seu tambor.

E, com algum esforço, descobrir como fazer.

Mas se no treino você consegue aplicar tudo e na hora da prova as suas ações ficam congeladas, então você tem um grande problema.

Não adianta saber o que fazer, descobrir como fazer e na hora H não ser capaz de acertar.

Isso significa que você está correndo dominada pelas emoções.

Acertar as suas passadas só acontecerá se você dominar as emoções e correr movida pela razão.

 

 

Vou dar um exemplo e vai sentir na pele.

Você treina e seu cavalo larga com vontade, mas com foco. Você é capaz de virar o primeiro tambor sentando fundo na sela e abrindo a sua mão no momento certo. Ele vira rápido e sai colado ao tambor.

Dois dias depois você está entrando em pista sob o chamado do locutor. Seus braços estão tensos e você segura as rédeas tensa e com pressão. Seu cavalo dificulta a largada.

Vocês partem e de repente a chegada do primeiro tambor parece ser rápida demais. Você puxa as rédeas, sai da sela e ele vira mal, vira aberto.

O que aconteceu?

Em dois dias tudo mudou?

Não, não é nada disso.

Você é a mesma e ele também. Existem fatores externos influenciando, mas o fato é que você entrou em pista travada e sem ação, porque as emoções tomaram conta de você. Não foi capaz de fazer nada daquilo que sabe fazer.

Isso pode ser diferente se puder entrar na pista com foco e determinação. Crente do que é capaz e certa do que irá fazer.

Sem dúvidas. Sem medo de errar.

Sem receios.

Isso é controle emocional. É a aplicação da inteligência emocional que mudará a sua prova.

Não há outro caminho para ganhar consistência e constante evolução.