fbpx

Reabilitação de tendões e ligamentos lesionados

Ter alguma noção sobre a reabilitação de tendões e ligamentos lesionados faz parte do que considero uma obrigação de treinadores e competidores.

Você não precisa saber como tratar, claro que não. Mas precisa saber que deve ser tratado e, principalmente, deve parar o seu cavalo. Veja porquê.

 

Não importa que tipo de tratamento você escolha quando seu cavalo lesiona um tendão ou um ligamento; o tratamento mais importante será o tempo.

 

Se o seu cavalo machucou um tendão ou um ligamento, é importante que você saiba que ele precisará de um tempo para se restabelecer.

Nenhum tratamento se mostra mais eficaz e mais rápido do que o descanso controlado e a reabilitação para dar ao tendão ou ligamento lesionado a chance de retornar à plena função.

Uma coisa é certa: ainda que você tenha muita pressa e queira um resultado muito rápido, não existe milagre. O tecido precisa de um tempo para se reestruturar.

Mesmo que você busque por tratamentos como magneto, shockwave, célula tronco, laser, qualquer tipo de terapia, se você também não der ao seu cavalo tempo suficiente para descanso e reabilitação, elas farão pouca diferença na sua recuperação total.

 

 A necessidade do descanso

 

Tendões e ligamentos são um pouco semelhantes às cordas. Ou seja, eles são como um grande cordão feito de muitos cabos mais finos, como uma corda.

E, quando algumas dessas fibras se parte causa dor e inflamação. Por isso os cavalos tem claudicação e inchaço e o tratamento geralmente não é rápido.

A propósito, o tendão geralmente incha na forma de um arco arqueado.

De qualquer forma, antes do advento de toda a tecnologia e tratamentos que surgiram nas últimas três décadas, a reabilitação de tendões e ligamentos lesionados era realizada soltando o cavalo para pastar por um ano ou mais.

No caso de uma égua, era comum parar de trabalhar e tirar um potro dando o tempo necessário para a reabilitação do tendão.

Geralmente, após seis meses ou um ano os tendões se restabelecem. Essa é uma opção a se considerar, pois as lesões em tendões e ligamentos acabam curadas com o tempo e sem grandes tratamentos.

Mas somente o descanso raramente dá certo. Esta é uma das razões pelas quais um veterinário raramente sugere apenas o descanso.

Caso você ainda não saiba, os cavalos não são exatamente os melhores pacientes. Eles não compreendem o que os veterinários prescrevem e também não compreendem porque deve ser feito. Na real eles são piores do que alguns proprietários.

Então, quando este cavalo é solto no piquete pode acabar correndo demais e executando movimentos cujo resultado é piorar ou não deixar que as fibras se recuperem.

Nos anos 80 os aparelhos de ultrassonografia começaram a entrar em uso. Eles permitem que tenhamos a visão dos tecidos moles para avaliar a extensão do problema, o que nos dá um ótimo começo.

Com o ultrassom é possível acompanhar a evolução do tratamento.

 

Um pouco mais sobre as lesões de tendão e ligamento.

 

Para aquelas que não são muito severas, os cavalos deixam de apresentar dor entre três e oito semanas.

Bem semelhante ao que ocorre com atletas humanos. Porém, o cavalo ainda não está pronto para voltar ao trabalho.

Se ele voltar a trabalhar antes da lesão estar totalmente curada, provavelmente terá uma nova lesão.

E o que acontece é que essa nova lesão fará todo o processo voltar para a estaca zero. Ou seja, uma nova lesão terá que ser tratada repetindo o tratamento desde o início. Terá que recomeçar o tratamento em si, o repouso e a reabilitação.

Então, a minha primeira regra, quando se trata da reabilitação de tendões e ligamentos lesionados, é que é melhor ser um pouco prudente e cauteloso. É melhor levar um mês a mais, do que apressar a volta do seu cavalo às pistas e acabar precisando de mais seis ou nove meses além do que já gastou.

 

Reabilitação com método

 

A Dra. Carol Gillis, uma grande especialista em ultrassom e veterinária da Carolina do Sul (EUA), desenvolveu um programa de reabilitação bastante conhecido e muito aplicado pela maioria dos veterinários de equinos.

Acho que o programa ótimo e super útil. Ele não apenas ajuda os cavalos, mas fornece referências aos proprietários.

A Dra. Gillis defende um programa de exercícios controlados, juntamente com exames regulares de ultrassom do membro em tratamento, a fim de ajudar a maximizar a chance de um resultado bem-sucedido.

O descanso absoluto é realmente muito ruim para a reabilitação de tendões, pelo menos a longo prazo.

Tendões e ligamentos curam melhor sob estresse leve, e é por isso que o exercício controlado é o melhor caminho quando se trata de reabilitação de tendões.

Não queremos que  o processo seja rápido demais e faça o cavalo voltar ao trabalho cedo demais, porque pode piorar a situação.

Por outro lado, se for muito devagar perderá tempo e dinheiro. Por isso, a melhor coisa é tratar da forma mais eficiente possível.

A ideia geral do programa da Dra. Gillis é que há um período de descanso e medicação para controlar a inflamação que ocorre com lesões nos tendões e nos ligamentos, seguido por um período de exercício controlado, que estimula o tendão a curar e ficar mais forte possível.

Exames de ultrassonografia são recomendados para verificar o progresso da cicatrização.Em termos gerais, reabilitar tendões e ligamentos não é uma tarefa rápida e fácil, já que o sucesso necessita de oito a nove meses.

O programa de reabilitação da Dra. Gillis é praticamente auto-explicativo. Siga as instruções desse programa e estará dando as melhores chances de recuperação ao seu cavalo, não importa que tipo de terapia você tenha escolhido para o tratamento.

Fonte: Doctor David Ramey

 

O que acho de tudo isso?

 

Há 24 anos tenho cavalos de tambor.

Antes disso, tive cavalos desde os 11 anos de idade. Mas apenas para passeio e lida com o gado.

Ao longo desses anos, é claro que aconteceram lesões de tendões e ligamentos. Ainda que eu seja bastante cuidadosa, eles aconteceram. Mas nunca me passou pela cabeça encurtar o processo de reabilitação para correr uma prova.

No meu entender, trabalhar um cavalo lesionado é no mínimo absurdo. O fato de que sentem dor como os humanos é amplamente conhecido. Então, não vejo justificativas para esse tipo de conduta.

Além disso, trabalhar um cavalo com dor é pouco produtivo, visto que não será capaz de dar o seu melhor e acabará se defendendo da dor.

Quem já foi atleta como eu (patinação artística e corrida!), sabe que a dor reduz absurdamente a qualidade dos nossos movimentos.

Então, o melhor caminho é tratar corretamente e executar os exercícios adequados para o restabelecimento das fibras lesionadas. Isso demanda tempo e paciência, mas não será nenhum problema para quem realmente se importa com o seu cavalo.

 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.