fbpx

Problemas com a velocidade – Heather Smith

Os problemas com a velocidade. Seu cavalo chega na prova e nada vai bem. Heather passou por isso e explica os motivos e o que pode ser feito.

Quando falamos em provas de velocidade, parece que tudo pode mudar com a pressão e o aumento de dificuldade nas competições. Se você já corre o tambor há algum tempo provavelmente já teve experiências em que parecia que tudo estava perfeito, até seu cavalo apresentar alguns obstáculos e dificuldades na prova. E você vê tudo desmoronar na sua frente.

 

Alguns cavalos têm mais facilidade para manobrar seus corpos em velocidade e outros menos.  Nosso trabalho como cavaleiros é ajudar a equilibrar suas tendências naturais. Entender seus pontos altos e baixos para melhorar o que já é bom e desenvolver as áreas mais fracas. Mas e quando sentimos como se tivéssemos feito TUDO, mas no dia da prova as coisas não correm bem?

 

Com um dos meus cavalos pensei que tivesse feito tudo o que era possível para que tivesse o resultado esperado. Mas por anos, não conseguimos dar marca. Foi  frustrante! Neste artigo quero compartilhar minhas experiências sobre como as coisas tendem a dar errado quando colocamos  velocidade. E também, como eu e meus cavalos superamos os desafios que a velocidade nos apresentou. Tal como acontece com muitas questões que surgem na pista, muitas vezes são sintomas de algo que não vemos. A compreensão do “porquê” nos dá uma visão sobre “como” solucionar com êxito.

Também vou compartilhar alguns exercícios que foram importantes para mim e garantiram o sucesso nessa questão. Acho que vai ser útil para você também.

 

Os motivos que causaram esses erros.

 

Uma das primeiras razões pelas quais nosso tambor vai mal com a velocidade é porque nós, ou nossos cavalos, recorremos a velhos hábitos que não são eficientes ou não nos servem mais! Quando um cavalo foi inicialmente treinado para trabalhar de uma determinada forma ou usar seu corpo de uma certa maneira no percurso e isso se tornou um hábito. Ou talvez o cavaleiro tenha permitido que o cavalo desenvolvesse uma forma de trabalhar não eficiente. Até acabar se tornando um problema. Muitas vezes tentamos corrigir um problema. Treinamos e fazemos exercícios em casa, mas acaba não dando certo. Ele volta a repetir o velho hábito quando colocamos velocidade.
Isto acontece com os cavalos e com os humanos por causa da forma como nossos cérebros funcionam.

Em uma corrida de alta velocidade há pouco tempo para pensar, só conseguimos reagir. Estabelecer novos hábitos exige tempo e esforço. Através da repetição cuidadosa, novos caminhos neurais podem ser criados para dizer aos nossos corpos o que fazer (como a memória muscular). Até então, os neurotransmissores em nossos cérebros recorrem aos caminhos que já estão bem gravados.

 

O que acontece é que tanto o cavalo quanto o humano acabam caindo no mesmo hábito.

É preciso repetir com paciência até que fique gravado em nossos cérebros. Principalmente em velocidade onde há pouco tempo para pensar e mudar algo. E esse trabalho leva tempo. É possível criar novos caminhos neurais, mas não é fácil. É preciso muita dedicação e paciência para deixar de lado um condicionamento que não queremos mais. Se isso é difícil para nós, também é difícil para eles.

 

Quando os seus movimentos novos e corretos se tornarem automáticos numa prova, você estará apto a ajudar seu cavalo.

Uma segunda razão pela qual nossos cavalos são “diferentes” em velocidade ou em competição é porque NÓS estamos diferentes e agimos diferentes nas provas.

Se você parar para analisar a você mesmo numa prova, vai perceber isso. A pressão, a energia, os nervos, etc. E se você pudesse ser calmo e consciente numa prova, da mesma forma que é dentro de casa? É possível através de treinamento mental. Nós podemos desenvolver nossas mentes e construir um caminho mental e emocional que nos deixe focado, confiante e calmo. Mesmo diante de uma pista de competição.

Haverá sempre certos aspectos do ambiente de competição que você não terá controle. Mas você pode se determinar a ser o competidor calmo e consistente que seu cavalo precisa. Melhorar a sua capacidade de se concentrar, bloquear as distrações e estar confiante, não importa se você está na pista de um amigo ou na largada no NFR.

Uma terceira razão pela qual uma desconexão ocorre em velocidade ou em competição é que os fundamentos mentais, emocionais, físicos e de treinamento não estão firmemente estabelecidos.

A velocidade é o teste mais confiável que podemos ter. Podemos estar treinando um cavalo onde tudo parece estar cada vez melhor, mas quando colocamos a velocidade surgem “buracos” na construção do nosso cavalo. Questões que podemos ter esquecido de repente tornam-se óbvias! Podemos ter tudo PERFEITO até a velocidade ser adicionada.  E, de repente, o treinamento que acreditávamos ser perfeitos parece cair por terra.

 

Abaixo, segue um plano de ação para resolver essa questão e assegurar que o treinamento bem feito e lento resulte em “tocadas perfeitas”.

 

No início deste artigo, eu mencionei  que existe uma desconexão que ocorre em velocidade, porque nossos cavalos desenvolveram hábitos e maneiras ineficientes de se mover e de usar seus corpos numa corrida.

Para criar novos padrões de movimento, precisamos refazer os caminhos neurais no cérebro do nosso cavalo e construir novos hábitos:

Interromper os padrões antigos

Fazer a ponte entre o trabalho lento e o trabalho de velocidade

 

Meu cavalo se movia corretamente em torno de um ou dois tambores quando executava um 8, mas quando ele percebia que fazíamos sempre o mesmo percurso a qualidade de seus movimentos diminuía.

Tenho certeza de que isso acontecia porque, sem perceber, deixei que ele fizesse isso no passado. E acabou virando um hábito. Para ajudar meu cavalo a usar melhor o seu corpo tive que misturar a sequência de giros para “enganá-lo” e não percebesse que havia um padrão. Então trabalhei atenta a seus movimentos, até que ele se movesse sempre corretamente.

Analise e veja quais são os problemas que seu cavalo possui e use essa pista dupla para corrigir. No primeiro tambor, onde meu cavalo caia para dentro e ficava um pouco esticado, eu parava ele na entrada do tambor, virava para o lado oposto e saia, para lembrá-lo de se posicionar e não cair para dentro. No segundo e no terceiro, onde ele se inclinava e começava a virar muito cedo, eu trabalhava insistindo em tirar isso de sua mente. Parava na entrada do tambor com o cavalo reto. Então, saia para o lado oposto em arco reverso e virando nos pés.

 

Trabalhos consistente só acontece quando o cavalo está calmo. Não irrite ele.

Com todos esses tambores na pista, eu trabalhava virando cada um deles, em todas as direções, a trote, a passo, a galope. Sempre cuidando e exigindo que meu cavalo se movimentasse corretamente o tempo todo. E no meio desses exercício fora do padrão da pista de tambor, eu de repente fazia o percurso correto dos três tambores. Se meu cavalo voltasse a repetir velhos hábitos e se antecipasse para virar eu corrigia no mesmo instante. É importante não deixar que o erro se repita. Ficar atento e corrigir na hora.

 

Problemas com a velocidade e as soluções 1.

 

Surgiam os problemas com a velocidade e eu tinha que fazer essas correções (quando os maus hábitos tendem a surgir com mais frequência). No entanto, eu precisava criar novos caminhos neurais para “apagar” os antigos e errados. Cavalos aprendem a fazer o certo e o errado através da repetição. Se ele erra é porque ensinamos ou deixamos que errasse. Então, cada vez que você permite que seu cavalo dê uma grande volta ao redor do tambor, entre antes da hora, caia de paleta passe o tambor, etc você está ensinando a fazer isso e ele fará cada vez melhor! Errado para você, mas ele aprendeu assim!
Outro exercício para conseguir um efeito semelhante se o seu cavalo simplesmente não está se movendo no tambor com a qualidade e apoio traseiro que você quer:

– empurre-o em direção a cerca e faça um roll back

– em seguida empurre-o em direção ao tambor e faça um roll back

– empurre-o mais uma vez em direção ao tambor e roll back novamente

– agora vá e vire o tambor

Esta é uma forma de dizer “Ei amigo, sabe esse movimento perfeito que você fez na cerca? Bem, você também precisa ter seu posterior apoiado quando vira o tambor!” Um ensinamento usando a correlação.

 

Problemas com a velocidade e soluções 2.

 

Se o seu cavalo precisa ser trabalhado mais relaxado, se movimentar para a frente ao redor do tambor:

– comece fazendo um círculo perto do tambor fazendo-o se movimentar com a qualidade que você deseja

– então volte par ao tambor e faça o virador da mesma forma que fez trabalhando no círculo

– ele entenderá que o movimento que está mostrando no círculo é o que deve ser feito no tambor

 

Pista Dupla e testes

 

Uma das chaves para o sucesso com este exercício “Pista Dupla” é que você vai conseguir  colocar mais velocidade a medida em que progride. Lembre-se, você está trabalhando colocar um novo ensinamento em cima de um antigo de forma que seu cavalo não repita velhos hábitos na prova. Isso significa que irá aumentar a velocidade para simular a corrida do dia da prova. Acho que alguns problemas surgem em provas porque os cavaleiros dão um grande salto passando do galopão para a corrida forte de uma vez. Acabam não trabalhando na velocidade intermediária. É importante que seu cavalo saiba trabalhar na pista a trote, galope, galopão, correndo e correndo forte mesmo.

 heather-smith-double-pattern

Faça o teste de velocidade. Pague para ver!

 

Lembre-se de que se seu cavalo passou muito tempo repetindo esses erros, que ficaram firmes em sua mente. Mudar isso não vai acontecer do dia para a noite.Geralmente leva entre 4 e 7 dias para o cavalo entender uma nova forma de trabalhar. Mas programar a mente dele e a sua memória muscular para que faça tudo automaticamente em velocidade, vai levar mais de um mês. Seja paciente e não hesite em testar num test horse quando estiver confiante de que está indo na direção certa. É muito bom “testar” o que você está fazendo, porque infelizmente é possível que apareçam novos problemas quando você está tentando corrigir outros!

Espero que este artigo possa ajudar a acender alguma luz para resolver os problemas frustrantes que surgem quando colocamos velocidade.

Sinta-se a vontade para comentar aqui embaixo. De repente você teve uma experiência assim ou passa por algo semelhante. Seria muito bom ter essa informação.

 

Quer saber o passo a passo para aplicar tudo isso e muito mais? Clique na imagem.

 

Comments 2

  1. Paulo 12 de março de 2017
    • tresgiros 14 de março de 2017

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.