fbpx

Mary Burger – como venceu o Wrangler NFR aos 67 anos

Dizer que Mary Burger é a notícia mais quente deste ano nos três tambores, não é exagero. Ela venceu o Calgary Stampede e liderou o mundial em $80.000. É fácil encontrar uma manchete falando sobre a avó de 67 anos que vem ganhando muitos prêmios no tambor americano. Mas deixe-me dizer uma coisa: idade não tem nada a ver com isso.

 

Ela nem sequer percebe sua idade, não é algo em que ela pense muito. Será que é por isso que ela é tão bem sucedida? Isso não aconteceu apenas tarde em sua vida; ela sempre foi uma campeã. Na verdade foi campeã mundial AQHA várias vezes e campeã mundial PRCA/ WPRA.

 

Mary Burger tem muitos motivos para entrar para o Hall of Fame.

 

Como uma das mais bem sucedidas competidoras de três tambores na história profissional, Mary Burger tem provado ao longo das últimas cinco décadas que não é um cavalo ou um campeonato mundial que determinam a elite na arena. A história extraordinária de Mary começa com a menina pequena em uma fazenda em Decatur, Indiana. Cavalos eram usados na fazenda e visto como uma ferramenta. Seus pais não faziam a menor ideia de que sua filha “usaria” esses cavalos como um meio para voltar a andar e depois propiciar uma vida cheia de realizações.

Ainda bem nova, Mary foi diagnosticada com a doença de Perthes, uma condição que ocorre em crianças onde há perda do fluxo sanguíneo na região dos quadris. Os sintomas são semelhantes à artrite e caminhar se torna bastante dolorido. Mary nem podia brincar. Auxiliada por muletas, seu amor pelos cavalos aumentava cada vez mais. Então, seu pai comprou um pônei para ajuda-la a se locomover. Ela montava o pônei o tempo todo e seguiu sua infância se divertindo. O amor pelos cavalos aumentou de tal forma que nada poderia atrapalhar essa relação.

 

Alguns anos após o diagnóstico, Mary se recuperou graças a um tratamento. Dizem que a equitação ajudou a curar seus quadris. E o amor pelos cavalos ainda crescia dentro dela. Então, seu pai comprou um paint horse de 4 anos. E foi assim que tudo começou.

 

Manteve-se dedicada ao longo de toda a adolescência e ganhou vários títulos nesses anos. Logo encontrou seu mundo – o mundo dos três tambores.

 

Realizações de Mary.

 

Mary Burger pode ser considerada uma das PRIMEIRAS Campeãs do Mundo nos Três tambores. Em 1974, aos vinte e poucos anos, Mary ganhou o título de Campeão do Inaugural World Champion Junior Barrel Racing e Inaugural World Champion Junior Pole Bending para a American Quarter Horse Association (uma organização originalmente fundada em Fort Worth em 1940) com o cavalo High Bars Wimpy. High Bars Wimpy, treinado por Mary Burger ganhou vários títulos na categoria cavalo Júnior (até 5 anos). Vencer nas duas modalidades ainda é raro nos dias de hoje. E eles venceram já naquela época.

 

Estes dois Campeonatos do Mundo seriam apenas dois dos dez Campeonatos Mundiais que Mary venceria nas próximas quatro décadas.

 

A AQHA sofreu uma perda importante depois que um incêndio destruiu seus registros e grande parte da carreira de Mary anterior a 1993 ficou perdida.

 

Principais Destaques de sua Carreira incluem:

 

1974 Campeã Mundial AQHA Junior Três Tambores – High Bars Wimpy

1974 campeã Mundial AQHA 6 balizas – High Bars Wimpy

1984 Old Fort Days Reserve Champion – High Bars Wimpy

1985 Old Fort Days Champion – High Bars Wimpy

1985 AQHA World Champion Senior Barrels – Showum the Gold

1986 AQHA World Champion Senior Barrels – Showum the Gold

1996 AQHA World Champion Junior Barrels – Miss Mergie

2001 AQHA World Champion Junior barrels – Rare Fred

2003 AQHA World Champion Senior Barrels – Rare Fred

2004 AQHA World Champion Senior Barrels –Rare Fred

2005 AQHA World Champion Senior Barrels – Rare Fred

3 vezes classificada para National Finals Rodeo (2006, 2008 e 2009)

1993 national Barrel Horse Assoc. Derby Champion – Bugged Policy

1995 Old Fort Days Barrel Futurity Champion – Miss Mergie

2009 e 2016 Campeã Houston Rodeo

2000 AQHA Reserve World Champion Junior Barrel – Maximas

2010 Nomeada pela Barrel Horse News como uma das 12 Melhores Competidora de Tambor de todos os tempos

2016 Campeã do Wrangler NFR

 

 

 

Mary Burger e sua contribuição para o mundo.

 

Mary Burger era uma mulher à frente de seu tempo nos anos 70. A maioria das mulheres que ganhavam no circuito eram das famílias do rodeio e do mundo do cavalo. No caso de Mary, sua família era de fazendeiros e operários que não saiam de sua cidade natal, Decatur – Indiana. Seu amor pelos cavalos e pelo tambor fez com que Mary abrisse suas asas e viajasse de arena em arena.

A maior contribuição de Mary para os Três tambores foi a de que uma cowgirls americana pode fazer o que quiser, mas deve fazer bem feito e ser a melhor no que faz. Sua técnica de treinamento de cavalos usando as mãos de forma amável e respeitosa a diferenciava dos outros treinadores da época. E isso ainda acontece nos dias de hoje.

O método de treinamento de Mary é ensinar o cavalo a trabalhar de forma consistente, de forma que ele aprenda e saiba o que fazer. Ao longo de décadas da dominação de Mary no mundo dos Três tambores, ela vem provando que a dedicação ao esporte, o compromisso e o esforço é que fazem um campeão. 10 Campeonatos Mundiais e mais de US$ 1 milhão de dólares em ganhos mostraram que esta técnica é eficaz.

 

Geralmente Mary começa a treinar um potro para ser um campeão no Futurity, Derby e arenas de rodeio. Este é um plano desafiador. No entanto, Mary não só é capaz de atingir este objetivo com vários cavalos, como faz isso de uma forma que parece muito fácil. Seu estilo de correr é quase minimalista. Corre fácil, com poucas ações no cavalo. Outra das maiores contribuições de Mary para o esporte é a enorme quantidade de cavalos de qualidade que ela treinou e que passaram a ganhar com outras competidoras.

 

Conjunto perfeito

 

Ela está longe de parar. Mary aos 67 anos, corre com um dos cavalos mais competitivos do país, SadieFamousLastWords. Cavalo que ela comprou com dois anos de idade e que treinou usando suas técnicas, que hoje dominam o mundo do tambor.

Humilde, gentil, compassiva …. É assim que a maioria das pessoas descreve Mary Burger. Ela é alguém que se mistura com a multidão. Ela anda com a confiança de um campeão, mas com a sua forma de ser sempre acessível. Sempre disposta a ajudar e aconselhar aqueles que precisam da sua experiência.

Estas são todas as qualidades que definem um “verdadeiro” campeão. Os relacionamentos de Mary com seus cavalos são especiais. Estas relações são baseadas na confiança, no respeito e no amor. Mary e seus cavalos tem um entrosamento e confiança recíprocos que fica visível nas arenas. Integridade é o que faz uma cowgirl como Mary Burger dominar as arenas por mais de cinco décadas. Integridade com o esporte, integridade com o cavalo, integridade para continuar a despeito de sua idade e a integridade para seguir seu sonho de menina.

 

Dica de Mary

 

Pergunta: Eu sou principiante. Comecei a correr provas de tambor há pouco tempo. Comprei um bom cavalo, uma sela e alguns equipamentos. Tenho dificuldade em me sentar na sela. A maioria dos meus vídeos mostram que eu me inclino para a frente, no giro não estou sentada firme na sela e isto acaba atrapalhando o trabalho de meu cavalo. Eu tento (tentou muito), mas não consigo pegar o jeito. Você tem algum conselho para que eu consiga me sentar realmente na sela e para que eu consiga me preparar para os giros? Eu tenho um cavalo que trabalha bem e conhece o percurso. Gostaria de melhorar a minha passada. Obrigada!

 

Mary Burger:

Você precisa realmente se preparar mentalmente, se concentrar, para cada item daquilo que você precisa fazer. Executar exercícios diariamente para que se tornem rotina para você. Se não puder todos os dias, tente o máximo de vezes. A diferença será o tempo que levará e precisará de maior esforço.

Uma parte muito importante é certificar-se de que os estribos de sua sela estão devidamente ajustados no comprimento correto. Você precisa se levantar em sua sela e ainda ter espaço para colocar um punho entre você e ela. Isso permitirá que você use suas pernas corretamente, e costumo dizer que usamos nossas pernas como asas.

Primeiro, conscientize-se de que precisa se sentar mais para a frente da sela e ficar mais perto do seu cavalo. Se você se inclinar demais para a frente, suas mãos estarão sem ação, seus pés irão para trás e seu corpo acabará fora de posição e de controle.

 

Levante a cabeça, olhe lá na frente.

 

Em segundo lugar, mantenha seus pés posicionados diretamente abaixo de seu centro de gravidade. Eles devem formar uma linha imaginária que vai do seu ombro, passa pelo seu quadril e vai até seu tornozelo. Também é importante que você não leve suas mãos muito além do pito da sela. Quando suas mãos ficam muito para a frente, o peso do seu corpo é jogado para a frente. Sente-se na sela profundamente, pressionando seu assento na sela e mantendo seus calcanhares para baixo.   Trabalhando sobre isso todos os dias. Lembre-se sempre de sentar corretamente na sela para construir uma memória muscular.

 

Você não tem que trabalhar isso no percurso do tambor todos os dias.

Posicionamento do corpo é algo que você deve trabalhar sempre que estiver montando. A trote, a galope e, principalmente, galopando em círculos.  Pratique sentar-se profundamente na sela enquanto faz curvas ou círculos no seu cavalo. Simule com seu corpo como se estivesse virando o tambor. Sente-se reta na sela, sem tombar o corpo para a frente.mantenha os quadris no meio da sela e os pés abaixo do seu corpo com calcanhares para baixo.  Para responder à pergunta sobre aproximar-se adequadamente do tambor, uma vez que seu cavalo é firme, a melhor forma seria correr com as mãos paralelas e bem sentada e firme na sela.

Mesmo que esteja empurrando o cavalo, as pernas e quadril não mudam de lugar. Somente os braços vão para a frente e os ombros se curvam. Nunca jogando o corpo todo para frente e levando os pés para trás. Quando seu cavalo chegar a um passo antes do ponto de início do giro, esteja preparada e posicionada na sela. Uma mão no pito e a mão de dentro indicando o giro. Atenção para não desequilibrar no giro. Afunde seu assento na sela, força no abdômen.  Finalmente, certifique-se de seus estribos estejam no comprimento correto, pois isso é fundamental para as dicas de posição do corpo que lhe dei.

 

A maioria das competidoras dos três tambores tem problemas em agir rápido e com precisão na hora da prova, porque não estão firmes e seguras em cima do cavalo. Com a velocidade elas tendem a se perder ainda mais e a cometer erros que poderia ser facilmente evitados.

Sem firmeza não há segurança. Sem segurança não há foco. E sem foco não há performance. Montar corretamente é o passo crucial para se começar a sonhar com as vitórias.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.