fbpx

Cavalos que mordem: entenda e resolva

O Horsemanship tem uma ação e solução natural para Cavalos que mordem

 

Um comportamento dos mais indesejados que um cavalo de sela pode apresentar é o hábito de morder as pessoas, normalmente as que mais gostam dele e querem chegar perto. Mordidas de cavalo são efetivamente perigosas, mas felizmente nada comuns.

A melhor forma de lidar com uma questão como essa não é castigar, não é sentir medo a ponto de não poder chegar perto do cavalo que você gosta. Então o primeiro passo é tentar entender do ponto de vista comportamental, quais os motivos que levam um cavalo a morder, mordiscar, beliscar com a boca, ou outras aproximações não desejadas.

Se você tiver a oportunidade de observar manadas de cavalos soltos a campo vai registrar um grande repertório da linguagem corporal. Nos jogos que realizam uns com outros, existem coisas do tipo pega e corre, morde, belisca e sai, grita e bate a mão no chão, vira e dá um coice fraco de alerta , mas também entre os que são mais amigos, aquele que coça com a boca as costas do outro, os que andam juntos se tocando de lado, sem agredir, e até mesmo formas de comunicação e de demonstração de amizade e afeto.

É claro que é tudo brincadeira e pegar um pouco de pele nos dentes não é grande coisa, a menos que o destinatário seja um ser humano. Vai doer!! Quando um cavalo quer beliscar você, geralmente ele está querendo expressar a sua vontade de brincar, como se você fosse um deles, mas ele não sabe que a pele humana é muito mais fina.

Liderança

 

Se por um lado pode-se dizer que é um presente ter um cavalo que quer brincar com você, por outro lado, é um sinal claro de que ele não reconhece você como líder dele, ele não te vê você como o alfa da manada e isso deve servir de alerta sobre como você se coloca em relação a ele, parece que muito mais de igual para igual do que como líder do grupo.

Por isso sempre digo a quem faz o curso sobre a linguagem natural do cavalo, os cursos de doma natural e de horsemanship, que não se deve tratar cavalos como seu pet, com mimos fora de hora, ou com “aquela linguagem tatibitate, meu tchu, tchu, tchu”, porque esse é um caminho que além dele não compreender, ele capta que é uma autorização para fazer o que quer, sem limites, sem regras, que existem até mesmo dentro da manada.

CAVALOS NUNCA mordem seus Lideres ALFA!

 

 

 

Você sabe como reconhecer o cavalo alfa em um rebanho? Normalmente é uma égua, ela que levanta primeiro as orelhas na direção de quem se aproxima, ela que sai na frente sendo seguida pelo grupo quando todos se colocam em movimento, ela que murcha as orelhas e aplica as correções de conduta em quem faz bagunça na manada e principalmente ela é a única sem quaisquer marcas de mordida! Cavalos não mordem seus líderes alfa.

No jogo de dominação, aquele que “morder melhor” ganha. Ainda potros, eles incluem nas brincadeiras e correrias aquela “meia empinada”, as mordiscadas, se tocam e beliscam entre si, eles estão, basicamente, desenvolvendo suas habilidades de dominância e ensaiando estratégias de liderança.

As pessoas se voltam e acham graça no comportamento de um cavalo brincalhão que no começo belisca com os beiços e depois aprendem a usar os dentes em brincadeiras mais agressivas.

 

Entenda como são os cavalos

 

A maioria das pessoas erra duas vezes quando diante de um cavalo com esse comportamento. Primeiro acham graças e “incentivam” e depois quando sai do controle ou acontece um acidente mais sério, começam a bater no cavalo para ele parar de morder, o que não funciona.

 

Porque o cavalo é predado na natureza, e presas não entendem o que é punição. Eles acham que você está mordendo de volta e agora o intercâmbio torna-se sobre quem vai “ganhar” o jogo de dominância, quem vai morder melhor. No mundo do cavalo o mais corajoso cavalo, mais inteligente e mais rápido ganha.

O cavalo alfa exerce a liderança pelo exemplo, ele é calmo, auto confiante e totalmente sem agitação interior. Ele também está pronto para fazer o que for preciso para manter a posição alfa. Assim, quando um cavalo vai morder e tentar bater nele, o cavalo só fica melhor no jogo, ele fica mais rápido em esquivar-se do golpe e evitar o coice.

Conforme o tempo passa, a virada de pescoço rápida com mordida na ponta tendem a ficar mais constantes porque o cavalo fica mais sério na dominância sobre você. Além disso, quando um cavalo pode evocar uma reação emocional de você – surpresa, medo, raiva – ele sabe que você não tem chance de ser alfa. Você obviamente não está calmo, inteligente ou corajoso o suficiente! Prevenir é melhor que remediar.

 

Como agir?

 

Então, o que eu faço quando chego perto, na chamada área de risco? Eu digo “ouh” e esfrego de lado até que ele pare. O que mais você vai fazer? Tapa no cavalo não funciona e com certeza não vai melhorar o relacionamento. Se você recebeu uma mordida, lembre-se: a culpa é sua. O que você precisa fazer é descobrir como evitar, em primeiro lugar. Uma vez mordido, a retaliação é infrutífera, então deve entender o porque do comportamento dele e agir antes do incidente acontecer. Satisfazer a vontade dele de jogar.

Muitos mordedores estão entre os que vivem em ambientes muito restritivos, como estábulos e currais e são isolados de outros cavalos. É compreensível que eles vão se sentir reprimidos e sua necessidade de interação social fica muito alta. E então você pode ser tudo o que ele tem para ter contato e extravasar a energia acumulada! É possível que você, com mais frequência possa interagir com o seu cavalo de uma forma construtiva e brincar ao mesmo tempo. Isso permite que você exerça sua liderança da forma que os cavalos entendem.

Cavalos dominantes movem outros cavalos ao redor e isso você com uma corda mais grossa e longa pode fazer no redondel. Na forma de um jogo do tipo “quem move quem”.

Você pode começar fazendo com ele movimentos de alongamento da musculatura, de garupa e pescoço, depois pode com movimento verticais na corda fazê-lo reunir-se e recuar diversos passos, ai relaxa, flexibiliza, alonga e começa fazer curvas sobre si mesmo, procurando trazer o nariz dele até a paleta, sem tirar as patas traseiras do chão. Alonga e solta a cabeça como um elástico. Para um lado e outro e depois movendo de modo cruzado as patas de trás enquanto encurva o dorso numa meia lua, depois para o outro lado e relaxa.

 

Jogos para construir liderança

 

Ao jogar com ele de forma criativa propondo desafios novos em vez de jogar da mesma forma todas as vezes. Correr com ele na guia e fazê-lo saltar pequenos troncos no chão, saltar dois fardos de feno, fazer zigue-zague em cones ou balizas próximas, pular pneus presos a uma base de tábua, são exemplos de jogos leves e divertidos para ele. E fazer isso à guia com você na frente fazendo antes e ele te seguindo, consolida uma posição de liderança.

Sempre jogando-os numa sequencia você transforma os jogos em pequenas tarefas (“Jobs”), e os cavalos fazem as sequencias diferentes sem começar a ficar entediados. Seja criativo nesses percursos. Tente jogar os jogos como pequenos desafios mentais onde o cavalo tem que fazer um monte de coisas diferentes, de saltar o obstáculo para pisar nele para saltar um tronco mais grosso e depois outros mais finos de alturas diferentes. Indo para o lado sobre ele, parando em sua frente, trazendo ele pela guia longa com movimentos laterais da corda, (“io-io In”) e depois movendo –a verticalmente para cima e para baixo (“io-io out”).

Em seguida, considere jogar em linhas mais longas. Faça pequenos circuitos para um lado e outro no piquete ou no redondel, use cones, use bandeirolas de cores diferentes, etc. Usar os obstáculos, fazer coisas diferentes com eles, e manter seu cavalo mentalmente envolvido.

Levá-lo a pensar e saber o que você vai pedir para ele fazer a seguir! E cumprimenta-lo e agradecer a ele cada vez que fizer o certo, que se antecipar a você, já entendo o que seria pedido depois. Premie o talento!

 

Cavalos que mordem e a interação oral

 

Um cavalo que é brincalhão, ou cheio de energia e mordedor também está mostrando sua necessidade de interação oral. Jogar com a boca muito, e fazer mais do que ele realmente quer: esfregue vigorosamente com as mãos, puxe os lábios em torno (de brincadeira, claro), esfregar sua língua com a vara de cenoura, ensiná-lo a levar pela língua, e ensinar ele para pegar o seu boné ou uma vara ou um balde. Coloque esse “talento” óbvio para uma boa utilização. Você pode ensiná-lo a levantar um balde vazio com a boca, pode ensiná-lo a pegar uma cesta e mesmo a jogar uma grande bola plástica.

Ele também pode com paciência e perseverança da sua parte ensiná-lo e pegar o baixeiro e até a sela e trazer até você na hora de ensilhar dentro do redondel. Fique fora da zona de mordida.

A maioria dos cavalos que gostam de beliscar, fazem isso porque eles estão muito perto de você. Você pode ensiná-lo a mover-se ficando um metro longe e mantê-lo fora de seu espaço pessoal. Cavalos com uma tendência para beliscar também tendem a fazer isso no cavalo ao lado numa cavalgada, não permitindo que ninguém ande a seu lado. Corrigindo isso com exercícios e brincadeiras, tornam-se mais amigáveis, menos agressivo e mais auto confiantes.

Basta ensinar o cavalo a ficar a uma distância próxima mas respeitosa, isso pode trazer uma grande mudança em seu comportamento indesejável de ficar beliscando.

Lembre-se: se eles não podem alcançá-lo, eles não podem mordê-lo! Se você sentir uma alfinetada chegando, você se afasta. Pode fazer com seu cavalo se pressentir que ele vai usar a boca, rapidamente você age e faz com que ele mude de direção. Isso muda a sua mente, porque é um movimento dominante de sua parte.

Bater nele, nessa hora vai fazer com que ele entenda que é hora de brincar de dominante e ele vai querer testar sua rapidez mais e mais dando troco às suas agressões ou cutucões físicos. E bastam 3 ou 4 repetições para ele entender que é isso que você espera dele e ele se tornará um cavalo mais e mais desagradável ao seu convívio.

 

Coloque mais apoio em sua interação diária com o cavalo e, acima de tudo, não deixe ele invadir o seu espaço.

 

Importante: Mantenha seus pés no lugar e faça com que o cavalo mova os dele; deve fazê-lo sem qualquer tensão emocional. Outra ajuda é não olhar para o cavalo diretamente nos olhos dele. Essa é uma atitude de predador. Assim que ele se afastou, sorria e relaxe. Outra dica: Se o cavalo é muito agressivo, comece a trabalhar com ele do outro lado da cerca. Jogar com ele através da cerca ou por cima da porta do redondel, por cima da cerca. Você precisa obter sua confiança antes de chegar mais perto do que isso. Ele sente o cheiro da sua desconfiança e vai querer fugir dela ou dominar. Cavalos apenas mordem as pessoas que não gostam, não respeitam ou não confiam

Lembre-se, os cavalos são animais de presa. Eles estão mais preocupados com a segurança. Alguns cavalos mordem porque eles estão com medo ou inseguros (cérebro direito), outros mordem porque estão tentando dominar (lado esquerdo do cérebro). Em ambos os casos, fazer uma espécie de “backup” funciona. E em ambos os casos a melhoria do relacionamento funciona melhor, como descrito antes.

Assim como as pessoas, os cavalos precisam de se sentir queridos e respeitados e seguem lideres calmos e confiáveis, e não aqueles que exalam o cheiro de medo quando perto deles, porque o cheiro do seu medo, a adrenalina, na mente dele tem o mesmo cheiro que o predador exala quando vai ataca-lo e isso está em sua memória genética.

Sucesso com cavalos depende de saber como desenvolver e manter a amizade e respeito. Lembre-se que respeito vem do latim “res spiciere” e quer dizer manter a devida distancia e aqui não se fala só da distância física e sim, colocar-se diante dele como seu líder. Você deve construir um ponto de equilíbrio.

Você não pode fazer um cavalo respeitá-lo, punindo-o. Na verdade, isso faz o oposto: pessoas agressivas podem até obter um relativo sucesso para um cavalo parar de morder mas não conquistarão o coração do cavalo. Torne-se o tipo de pessoa que gosta de um cavalo, respeita e confia.

 

Isso significa:

 

  1.  Jogar um monte de jogos amigáveis. Faça seu cavalo gostar de você, de estar perto de você, e ter pensamentos positivos, quando ele te vê.
  2. Trazer biscoitos e cenouras (como presentes, para depois da sessão de trabalho/jogos, para depois do banho quando voltar à baia, não como subornos, nem como “reforço positivo a cada ato, porque cavalo não é igual cachorro). Compreender a vida a partir de sua perspectiva, compreender como ele se desenvolve, respeito e considerar suas necessidades.
  3. Desenvolver habilidades de liderança para um mínimo para que você saiba como ganhar o respeito do seu cavalo sem medo. Cavalos precisam de um alfa ou eles vão assumir o papel.
  4. Tocar os jogos variando sempre. Prove para seu cavalo que você não é um predador e que ele pode confiar em você, não importa o que aconteça. Há um delicado equilíbrio entre a obtenção de seu cavalo para fazer o que você pede e preservar a sua confiança.

 

Fonte: José Luíz Jorge – Rancho São Miguel

 

Comments 13

  1. Sabrina 19 de agosto de 2017
    • tresgiros 20 de agosto de 2017
  2. Eduardo 2 de fevereiro de 2018
    • tresgiros 2 de fevereiro de 2018
      • Eduardo 5 de fevereiro de 2018
  3. Paula Vargas Fontoura 6 de fevereiro de 2018
    • tresgiros 7 de fevereiro de 2018
  4. vinicius vaccari 2 de julho de 2018
    • tresgiros 3 de julho de 2018
  5. Paulo camboim 2 de julho de 2018
    • tresgiros 3 de julho de 2018
  6. sofia 5 de setembro de 2018
    • tresgiros 7 de setembro de 2018

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.