fbpx

Cavalos nervosos demais no partidor. Por que acontece? Como resolver?


Problemas no partidor, como resolver? – Charmayne James

 

Charmayne James foi 11 vezes Campeã Mundial de Três Tambores. Ela e seu cavalo Scamper fizeram história nos maiores rodeios do mundo.

 

Quais são os motivos?

 

Existem muitas razões que levam um cavalo a desenvolver problemas no partidor. A primeira coisa é se certificar de que não exista nenhum problema com os dentes. Embora muitos não imaginem isso, uma dor de dente pode deixar seu cavalo descontrolado num momento de pressão e stress. Também é recomendado verificar se não existe nenhuma dor e lesão.

Está tudo bem com seu cavalo? Então, vamos avaliar mais profundamente, porque a forma de montar um cavalo pode afetar seu emocional e seu sistema nervoso de forma bem grave.

A posição errada no percurso ou posição incorreta do cavaleiro no dia a dia pode causar muita dor para o cavalo.

 

A maioria dos problemas de partidor resulta de:

  • montar na posição errada
  • cavaleiro nervoso
  • mãos pesadas
  • puxar sua boca muito forte ou para baixo
  • colocar um cavalo para correr cedo demais.

A primeira coisa a se fazer é se aproximar do partidor com apenas uma mão na rédea e mantendo o corpo bem relaxado. Agite as mãos e os pés para que relaxem um pouco. Não pressione o cavalo. Os cavalos gostam de ser abordados com calma. Eles gostam de movimentos lentos. É como uma pessoa; você fica mais calmo perto de alguém tranquilo e descontraído e não ao lado de quem está nervoso e tenso.

 

É importante ter a compreensão do que é o cavalo e de como ele reage, para que você tenha sem problemas de stress e comportamento.

 

A cafeína, a nicotina e uma alimentação pobre afetam o sistema nervoso de uma pessoa. Não pense que isso não afeta seus nervos numa prova de tambor.

Tudo está ligado. Tudo tem a ver com o equilíbrio na hora de montar, a forma como cuidamos de nossos cavalos e, até mesmo, como cuidamos de nosso próprio corpo quando comemos corretamente.

Outro fator importante é aprender o básico, saber como um cavalo se move, a importância de saber conduzir, montar com equilíbrio e sentar para as paradas. Muitas vezes as pessoas não levam isso em consideração ou não aprenderam essa parte tão básica na lida com cavalos.

Aprenda tudo o que puder sobre a equitação correta, porque o básico é fundamental para corrigir um problema sério de partidor.

 

Resolva os problemas físicos

 

Nas clínicas que Charmayne ministra, frequentemente ela se depara com proprietários que fizeram tratamento dentário em seus cavalos recentemente, mas os dentistas se concentraram na parte da frente e deixaram de lado a parte do fundo da boca.

Ela salienta o quanto é importante ter um profissional qualificado que faça um trabalho bem feito e que possa ser realmente confiável. Ela reforça: encontre um veterinários especializado em quem você possa confiar a saúde de seu cavalo.

É importante se informar a respeitos da úlcera em equinos, que pode contribuir para a ocorrência de problemas de partidor. Identificando a úlcera, você poderá tratá-la. Um dos sinais mais comuns é que seu cavalo passa a comer devagar e não tão bem como antes. O cavalo ficará mal e estará rígido nos flancos, principalmente antes de entrar na pista para competir.

Estará com muita dor, terá um olhar assustado e passará a deitar com muita frequência.78% dos cavalos que correm muitas provas desenvolvem úlcera. Essa é uma estatística alarmante e os competidores de tambor precisam estar cientes antes de colocar seus cavalos para correr tantas categorias. É muito stress com alto desgaste físico e mental. Ele terá queda de desempenho e de velocidade também.

Quando os problemas físicos forem descartados como a causa dos problemas de partidor, então podemos analisar a posição de montar, o treinamento e trabalhar numa rotina para chegar fundo ao problema antes que esteja fora de controle.

 

Por que alguns cavalos tem medo de correr o tambor?

 

O maior problema é quando o cavaleiro posiciona errado seu cavalo na largada. É comum o competidor que olha para o tambor ao invés de olhar para o lado dele no lugar onde precisa ir.

Nunca se deve olhar para o pescoço do cavalo ou em linha reta para o tambor. Peça para alguém medir 3,5 metros do primeiro tambor em direção ao segundo e fazer uma marca no chão. Visualize quando montado para que você guarde esse ponto como o ponto onde deve se dirigir quando largar. Claro que 3,5m pode ter uma pequena variação de um cavalo para outro. Mas Charmayne descobriu que a diferença é muito pequena.

Montar um cavalo mantendo ele alinhado, com o corpo equilibrado é uma forma muito mais confortável para seu cavalo na aproximação do tambor. Não puxe sua cabeça para dentro ou para fora.

O cavaleiro tem que tomar todas as medidas possíveis para conseguir a confiança de seu cavalo. Alguns cavalos não precisam se arquear muito para virar, cada cavalo é diferente um do outro, mas todos precisam de espaço. Esse espaço tem que ser suficiente para que a garupa dele possa contornar o tambor antes de sair em direção ao próximo.

É preciso saber o momento certo para pedir que seu cavalo engaje, e é crucial sentir a posição dos posteriores e saber o momento de virar.

A aproximação do tambor equilibrada e a forma correta de virar tem tudo a ver com evitar problemas de partidor em seu cavalo.

 

“Não é basquete”

 

Geralmente, quando alguém é iniciante no tambor ou tem algum problema em uma prova, começa a treinar o tambor demais em casa. Prova de tambor não é como basquete ou futebol, portanto fazer seu cavalo dar todas aquelas passadas com velocidade dentro de casa é contraproducente e muitas passadas podem fazer um cavalo se tornar extremamente nervoso e ansioso.

O melhor a se fazer é trabalhar para melhorar suas mãos, equilíbrio, estabilidade e posição para a largada e o primeiro tambor. A respeito do uso das mãos, vou explicar o que acontece quando você puxa as rédeas. Elas forçam o bocal articulado e ele cutuca diretamente o céu da boca do cavalo e isso é muito dolorido. Experimente cutucar o seu céu da boca com uma colher.

Fora isso, quando você sacode as mãos e puxa, arrasta o bocal através das barras sensíveis da boca do cavalo. Isso é extremamente doloroso para um cavalo e isso pode causar sérios danos nas barras. Puxe uma vez com firmeza, mas sem tranco, quando você precisar. Mas não fique puxando e mexendo as rédeas e aplicando uma dor constante no seu cavalo.

 

Ao invés de ficar passando várias vezes em casa, analise suas passadas e a posição no percurso. Você pode praticar mentalmente olhando para fora do pescoço do cavalo ou entre as orelhas dele durante o trabalho lento.

 

Preste atenção a você!

Treine manter suas mãos no lugar certo, nem baixo demais, nem alto, na altura da cintura. Dobre os cotovelos em vez de enrijecer os braços. Sente-se nos giros e pense onde vai se levantar, porque isso diz ao seu cavalo “Vamos!”. Então, só se levante na sela quando seu cavalo tiver passado a garupa pelo giro, para que ele não perca a tração do virador.

Mantenha seu corpo na posição correta durante o giro. A posição errada tem como resultado um cavalo que vem para cima do tambor ou escapa para fora no final do giro. E estas coisas são bem ruins para um cavalo, tanto ou mais do que para o cavaleiro.

 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.