fbpx

Cavalo poderoso – Aula 1

Não construa um cavalo quente, construa um cavalo poderoso!

 

A primeira coisa que você precisa saber é como funciona a natureza dos cavalos.

Como tornar seu cavalo poderoso?

 

Na natureza os cavalos são presas e não predadores. Embora seu cavalo não seja perseguido por um predador, isso faz parte de sua natureza da mesma forma que ser caçador faz parte da natureza de um cão.

E todo o comportamento dos cavalos se baseia nesse ponto crucial: não ser caçado.

Estão sempre em alerta para detectar qualquer perigo, tornam-se assustados e temerosos quando entram em uma situação de stress e pressão. Repare que sempre se assustam com animais diferentes. Outro dia minha égua ficou em pânico, pois o vizinho tem uma lhama e ela estava solta no piquete próximo a nossa pista. Sua reação não era de atacar, muito menos de se aproximar para cheirar ou conhecer, como faria um cachorro. Queria fugir, ir para o outro lado da pista.

Um ponto delicado: os humanos são predadores.

Tomando como base essa natureza, podemos entender vários problemas que surgem no decorrer da sua vida de atleta.

Um cavalo que leva trancos no freio sempre que chega ao pé de um tambor, fatalmente passará a ter medo do tambor; passará a se negar a virar ou ficar extremamente nervoso quando chegar ao partidor. A menor consequência será que ele comece a reduzir e amarrar os galões muito antes do tambor, já temendo aquele tranco no freio.

E você não precisa realmente dar um tranco absurdo, basta montar sempre puxando a boca dele ou com as mãos muito altas, pois ambas causam dor e incomodo.

 

A falta de inteligência e seus maus resultados

 

Presenciei incontáveis vezes onde o cavaleiro tentava flexionar seu cavalo dando esporadas em suas costelas e torcendo seu pescoço. Muitas esporadas, como se o cavalo se recusasse a flexionar.

Flexão nada mais é que alongamento. Exatamente o mesmo que fazemos na academia. Adiantaria seu instrutor dar esporadas para você se curvar mais? Não, porque é uma questão de condição física adquirida passo a passo.

Isso sem falar naqueles cavalos que são aquecidos e trabalhados em casa de uma forma e quando chegam na prova seus cavaleiros mudam tudo e querem deixa-los mais ‘espertos’. Aquecem colocando-os para frente, dando aquela ‘acordada’ neles.

Esse é um bom caminho para ter um cavalo nervoso, que tenha aversão de provas e que um dia desandará.

 

Essas e outras situações são responsáveis por existir tantos cavalos extremamente nervosos e até descontrolados.

 

Cavalos e o equilíbrio emocional

 

Um cavalo nervoso e descontrolado pensa em tudo menos em trabalhar.

Seu foco nunca estará no percurso. Assim como você, um cavalo não conseguirá trabalhar bem se estiver muito nervoso ou ansioso.

Quando você entra em pista nervoso e ansioso demais consegue focar na prova e trabalhar corretamente?

A primeira coisa que esse cavalo provavelmente começará a fazer é erguer a cabeça. E por que? Porque essa é a primeira atitude de um cavalo que se sente em situação de perigo.

Quando erguem a cabeça é que podem enxergar mais adiante, pois a forma de um cavalo enxergar é diferente na nossa (leia Como os cavalos enxergam aqui no link).

E presas com a cabeça perto do chão são muito mais vulneráveis.

Outro ponto: na natureza os cavalos só disparam a toda velocidade quando estão fugindo de algo. Esse crescente de velocidade muda algumas coisas em seu corpo, ocorre uma alteração na bioquímica dos cavalos, inclusive a liberação de adrenalina.

Toda modalidade equestre de velocidade faz disparar essas alterações e faz a adrenalina subir. Então, ficar mais ‘quentes’ e ‘ligados’ já acontecerá automaticamente.

Os filmes de Hollywood fizeram muitas pessoas acreditarem que os líderes do bando dos cavalos são agressivos, nervosos e agitados.

Nada disso. O líder geralmente é uma égua e ela é calma, focada e segura. Porque ninguém (nem nós mesmos) elegeria como líder um ser em desequilíbrio emocional.

Somente os animais seguros (isso inclui os humanos) são capazes de fazer as escolhas certas, tomar as atitudes mais apropriadas e ter foco em tudo aquilo que precisa fazer.

 

Ok. E o que significa um cavalo poderoso?

 

Significa um cavalo calmo, seguro de si, seguro quanto a sua segurança e capaz de executar seu trabalho sem receios e com confiança.

Para que isso ocorra, você precisa saber empoderar o seu cavalo.

 

Cavalos poderosos são:

  1. Calmos, mas atentos
  2. Relaxados, mas prontos para a ação
  3. Suaves, porém eficientes

 

E como conseguir isso?

Aprendendo a se conectar ao seu cavalo e a ensinar tudo o que precisam aprender.

Ao invés de exigir que façam o que não sabem e agir de uma forma que eles não compreendem.

 

1º. PASSO

 

Desde o início desse site bato na tecla de construir cavalos independentes. Exatamente o que vários competidores aprendem com o Coaching para Três Tambores.

Porque realmente acredito nisso, que um cavalo capaz de trabalhar porque sabe sempre será mais seguro e confiante. E cavalos confiantes vão para cima, podem ser mais rápidos e ágeis.

Se um cavalo depende que você indique firmemente e constantemente cada ação, ele sempre estará a espera dessa indicação para somente então reagir.

 

E queremos cavalos com AÇÃO e não REAÇÃO.

 

Reavalie o seu modo de montar.

 

Seu cavalo necessita que você puxe para executar um giro ou basta que você se sente e faça uma indicação inicial?

 

Faça o teste!

1 – Coloque seu cavalo em um círculo médio, alongando o trote ou a galope.

Sente fundo e faça uma indicação para dentro, leve, e veja se ele fecha e fica em um círculo pequeno consistente e fluído sem que você precise ficar direcionando seu corpo o tempo todo.

Agora, se você precisou conduzir seu cavalo o tempo todo para que ele ficasse nesse círculo, saiba que ele não sabe fazer sozinho um círculo pequeno, como um giro do tambor por exemplo.

 

2 – Trote seu cavalo em uma reta no meio da pista.

Agora sente fundo na sela, não puxe as rédeas para reduzir, mantenha sua mão de dentro adiantada, dê apenas um toque sutil para dentro e olhe para o lado indicando um rollback.

 

Ele reduzir e virou em um rollback?

 

Conecte-se

 

Saber se conectar ao cavalo para solicitar que faça algo ou ensinar como fazer é imprescindível para criar um cavalo seguro.

Agir calmamente e consciente de que precisa fazer seu cavalo entender o que você quer, é essencial . Você precisa agir como um líder, equilibrado emocionalmente para que possa treinar guiado pela sua mente.

Seu cavalo precisa sentir que o percurso e a pista são locais seguros. Que o local da largada é um ponto de foco, de seriedade, onde ele deverá ficar relaxado para que possa olhar a pista e partir sabendo o que fazer. E não se preocupe, ele sempre saberá que terá que correr em uma prova. Acredite, eles são bem inteligentes!

Por isso mesmo aprendem o que ensinamos. Se você, mesmo sem querer, ensinar algo errado ele aprenderá.

Por exemplo:

Quando você deixa que seu cavalo feche um círculo aqui outro lá, entre no tambor de qualquer jeito sem reunir e se posicionar, ele entende que pode fazer isso.

Depois com a velocidade esses erros tendem a aumentar de grau e você certamente irá repreendê-lo por ter errado. Porém, foi você quem errou anteriormente.

 

É importante ter em mente que os cavalos não inventaram o tambor e para eles fazer certo ou errado não tem diferença alguma.

 

Aprendizado

 

Não escute quando disserem que seu cavalo não vira bem porque não quer, porque resolveu enfrentar a sua vontade e trabalhar mal. Eles simplesmente não tem essa necessidade, essa forma de raciocínio, de fazer algo para contrariar alguém, porque isso é exclusivamente humano.

Se o seu cavalo se recusa a fazer algo ou “esquece” o treinamento de ontem, tenha certeza de que você precisa reavaliar a sua forma de treinar.

A repetição focada e correta gera aprendizado.

E para ser focada e gerar aprendizado, precisa ser calma, precisa ser assimilada pelo seu cavalo.

Quando você ensina algo, precisa saber se ele está entendendo. No lugar dele você entenderia? Não pense como um humano, pense como um cavalo porque é ele que precisa entender.

 

Excesso de contato na embocadura

 

As embocaduras foram criadas há séculos, na verdade há mais de dois mil anos, como uma forma de conter um animal por pessoas sem um mínimo de informação e conhecimento.

Os primeiros freios eram cortantes. Alguns chegavam a ter cantos serrilhados para que o cavalo fosse contido pela dor. Não havia a menor preocupação com a saúde e bem estar dos cavalos, pois quando morriam viravam comida.

Hoje definitivamente as coisas mudaram. Mas o pensamento de alguns mudou pouco. Porque muitos ainda veem a embocadura como forma de conter, punir e dirigir os cavalos.

Porém, a elite do tambor pensa e age diferente. Sabem que a embocadura deve ser uma ajuda, a conexão entre a mão do cavaleiro e o cavalo.

Alguns já estão deixando de usar embocaduras. Mas essa parte vamos deixar para depois, para uma aula futura.

Não existe embocadura que não possa causar dor em seu cavalo.

O uso correto, a leveza e sensibilidade das mãos do cavaleiro e a sua capacidade de se conectar com seu cavalo é que fazem toda a diferença.

Se o seu cavalo tiver medo da embocadura, ele não confiará em você e você nunca será seu líder. Porque as rédeas e a embocadura são a extensão das suas mãos. Cada ação, cada indicação, cada puxão, serão atribuídos a você.

Então, use-as para solicitar, para indicar aquilo que você deseja que ele faça. Use como coadjuvante e não como ferramenta principal. A ferramenta principal deve ser o seu cérebro, a sua inteligência e capacidade de desenvolver o aprendizado dele.

 

Use pouco, quando for necessário e a ação será muito mais eficaz.

 

Se você estiver constantemente em contato com a boca do seu cavalo, levando para lá, puxando para cá, dirigindo com as mãos o tempo todo, você minará o efeito das rédeas quando for realmente necessário.

Se você puxa a rédea quando ele comete algum erro, puxa para virar, puxa para flexionar, puxa para parar, puxa para tirar do tambor, puxa puxa e puxa, como ele saberá quando é para valer mesmo?

Na verdade puxar as rédeas sempre fará com que seu cavalo reduza, sempre funcionará como um elemento para contê-lo.

Então, se o seu cavalo está “empaletando” e você tenta tirá-lo para fora (e dificilmente consegue) , acaba acionando a embocadura e fazendo com que reduza. Sendo que o seu cavalo está apenas antecipando a entrada no giro e você só reforça isso quando pede, mesmo sem saber, para ele reduzir. Lembra que você treinou puxando as rédeas para reduzir e já virar os tambores?

Use as rédeas o mínimo possível e quando for pertinente à situação. Caso contrário você estará confundindo o seu cavalo.

A construção de cavalos poderosos se dá a partir do momento em que o cavaleiro tem a exata noção de seu papel: o papel de professor, de educador, de parceiro.

Você dará poder ao seu cavalo na medida em que transformá-lo em uma extensão de você mesmo. Na medida em que der condição física e mental para que ele exerça seu papel de atleta e tenha confiança tanto em você quanto no que aprendeu.

 

 

 

 

 

 

Comments 2

  1. Silvana 20 de outubro de 2017
    • tresgiros 20 de outubro de 2017

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.